Justiça decide que fotos da bebê roubada de Canelinha devem ser excluídas das redes sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Imagem/Divulgação

O pedido para a retirada das fotos das redes sociais da pequena bebê que foi roubada após sua mãe ser brutalmente assassinada, foi realizada pelo Ministério Público de Santa Catarina.

O MP entende que a divulgação das fotos da recém-nascida viola o direito à privacidade da criança. As fotos foram divulgadas de maneira viral na internet após o caso vir a tona por diversos canais de comunicação e o crime chocou a todos.

Promotor de justiça, Fred Anderson Vicente, declara que: “Embora as imagens já estejam circulando, a medida judicial foi proposta a fim de evitar a propagação. Inclusive já há pedido da própria família nas redes sociais para que não haja mais a divulgação da criança, para tentar garantir o máximo possível a saúde mental da infante”.

A partir da data de intimação, se tem 24h para as imagens serem excluídas, caso contrário o valor da multa estipulada será de R$50 mil por dia.