Carlos Moisés e a farra do avião-ambulância Arcanjo 6 dos Bombeiros de Santa Catarina

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

O deputado estadual Bruno Souza (NOVO), vem sendo uma pedra enorme no sapato do governo de Santa Catarina, Carlos Moisés (Republicanos), que descaradamente vem usando o avião Arcanjo 6 dos Bombeiros Militar para viagens políticas e passeios pessoais.

O avião Arcanjo 6, está locado para servir aos bombeiros militares em operações de busca, resgate, salvamento, transportes de órgãos vitais, vacinas, ações de Defesa Civil e apoio aos órgãos públicos e dignitários.

Porém, o governador vem fazendo uso constate, somente em 2022 o avião foi usado 20 vezes, em 2021 o mesmo avião foi utilizado 51 vezes. No dia 20 e 25 de janeiro de 2022, o avião dos Bombeiros teve como destino uma cidade turística no Mato Grosso do Sul, possivelmente para levar e buscar Carlos Moisés. O gasto com esse voo foi de aproximadamente R$150 mil, pago com recurso público.

Em uma viagem comercial com o mesmo destino, o gasto chegaria perto dos R$1.500. Além disso, a fatura do Arcanjo-06, referente aos voos realizados em fevereiro, foi de R$ 1.113.476,20, quase o dobro do valor mensal da licitação que é de R$ 611 mil.

O histórico apresenta 28 deslocamentos em fevereiro de 2022, sendo que em apenas oito situações consta o nome de pacientes ao lado. As demais viagens devem ser a pedido da Casa Civil para autoridades.

O deputado Bruno Souza (NOVO), entrou na justiça para ter acesso aos diários de bordo da aeronave Arcanjo 6, a mesma utilizada pelo governador Carlos Moisés (Republicanos). A justiça determinou que o deputado tivesse acesso, porém, o governador recorreu da decisão e impediu que essa informação fosse entregue ao deputado.

Deputado estadual de Santa Catarina: Bruno Souza (NOVO).

O caso está gerando um desconforto gigantesco ao governador, que pode ser alvo de mais umas CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, o que não pegaria bem, por conta da aproximação das eleições, no qual Moisés tentará a reeleição.