Verão mal iniciou em Navegantes e moradores já estão sem água

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Moradores do bairro Gravatá já estão sem água em suas torneiras. De acordo com relatos para a redação do portal Abre Olho Notícias, o desabastecimento de água iniciou logo pela manhã desta terça-feira (24). Segundo os comerciantes, o movimento de pessoas caiu aproximadamente 50% na cidade, mas nem mesmo isso está evitando a falta de água.

Arlindo Souza é o ex-motorista do prefeito e especialista em culinária, cujo curriculum vitae deve ter encantado o prefeito, nomeando-o como o novo responsável da pasta de Saneamento Básico de Navegantes (SESAN), Arlindo também comanda a secretária de obras da cidade., talvez por ter 2 especializações (motorista e cozinheiro).

Entre os anos de 2018 e início de 2019, moradores de Navegantes passaram 26 dias sem nenhuma gota de água em suas torneiras, a situação ficou insustentável. A prefeitura como forma de tentar fugir de sua responsabilidade emitiu uma Fake News colocando a culpa no SEMASA (Serviço Municipal de Água, Saneamento Básico e Infraestrutura de Itajaí), a autarquia reagiu provando que não tinha reduzido a entrega de água, sendo assim desmentindo a prefeitura municipal e comprovando que sua culpa decorreu da falta de armazenamento no lado de Navegantes.

Em março de 2019 a prefeitura prometeu a construção de um novo reservatório de água com a capacidade de 3 milhões de litro de água, que seria instalado no bairro São Domingos, porém, a promessa não saiu do papel.

OPERAÇÃO FALTA D´’ÁGUA EM NAVEGANTES

Em junho deste ano, a 4ª promotoria do Ministério Público de Navegantes (DR. MARCIO GAI) desencadeou uma operação que contou com o apoio do Grupo de Atuações Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). As investigações apuram eventuais crimes de corrupção passiva e ativa, organização criminosa e lavagem de dinheiro praticados por agentes públicos e empresários ligados à Secretaria de Saneamento de Navegantes (SESAN). Ex-vereador Valmir Cesar Francisco vulgo “Chero”, secretário e cargos comissionados foram presos nesta mesma operação e obrigados ao uso de tornozeleiras eletrônicas para seu monitoramento.