Tem mais operação do Gaeco em Navegantes do que obras no governo Emílio

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Relembrando as operações investigada pelo promotor Marcio Gai Veiga da 4ª promotoria do Ministério Público de Santa Catarina, notamos que há mais operação no combate a corrupção na cidade, do que obras do governo Emílio.

Relembre:

Em 2017 um esquema no setor de Planejamento Urbano afastou dois secretários e um suplente de vereador, entre outros nomes envolvidos no caso que ficou conhecido como a Máfia dos Alvarás.

Em 2018, em mais uma investigação do promotor Marcio Gai Veiga, afastou a sobrinha do prefeito (Graziela Cristina Corrêa), do comando da secretaria da educação. No mesmo ano, foi descobertas compras no valor de R$ 300 mil realizadas na saúde por dispensa de licitação. O vereador Samuel Paganelli e Frica foram indiciados pela justiça, o CNPJ da prefeitura está inadimplente por conta de Samuel e Frica não terem efetuados os pagamentos dos medicamentos feitos na farmácia do SESI.

Em junho 2019, a Operação Falta d’ Água, colocou na cadeia o vereador Valmir Cesar Francisco, vulgo Chero, secretário da SESAN, Joab Bezerra, diretor entre outros nomes. No mês de Agosto, uma operação contra a corrupção afastou o superintendente da Fundação Municipal de Meio Ambiente (FUMAN). Em outubro, foi a vez da operação “Peixe Fraco”, onde o promotor busca descobrir supostos pagamentos de propinas para liberação de alvará em salgas de filetagem. A mais recente deste ano foi o esquema na secretaria de obras, que colocou na cadeia o secretário Meio Kilo, ex-prefeito Roberto Carlos de Souza e o seu irmão, empresários e servidores.

Com isso baseamos que tem mais operação do Gaeco em Navegantes, do que obras no governo Emílio. Já podemos adiantar que esta operação não foi a última na cidade, novos capítulos deste mecanismo podre criado em Navegantes será desfeito.