Suspeitos de invadir o celular do ministro Moro já foram presos em Penha

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Dois dos quatros acusados pela Polícia Federal de ter invadido o celular do ministro da Justiça Sérgio Moro, já foram presos em Santa Catarina em 2015 por porte ilegal de arma de fogo e falsificação de documentos.

De acordo com as informações recebidas, Walter foi preso junto com Gustavo em maio de 2015, após se passar por Delegado, enquanto curtiam as férias no parque Beto Carrero World, em Penha.

Na época os próprios funcionários chamaram a PM que descobriu a farsa, no carro do falso delegado, foram encontrados um revólver calibre 38 e 37 munições. A carteira que o farsante usava era vermelha com inscrições da Polícia Civil e teria sido comprada no camelô.

Gustavo e Walter são suspeitos de ligação com os ataques nos celulares de uma série de autoridades, entre elas, o ministro Sérgio Moro.

A operação deflagrada nesta terça-feira foi batizada de Spoofing, que significa, segundo a própria nota da PF, “falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é”. O objetivo é “desarticular organização criminosa que praticava crimes cibernéticos”.