Navegantes, Itajaí, e mais 22 cidades de SC poderão ser inundadas em 30 anos diz estudo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

O estudo da Ong Climate Central divulgado pela revista científica Nature Communications, no final de outubro de 2019 realizou uma projeção com o cruzamento de pesquisas sobre impactos das alterações no clima com um sistema de mapeamento de alta resolução, que integra dados de batimetria (medição da profundidade dos oceanos) e topografia (características presentes na superfície de um território).

Formada por cientistas e pesquisadores de vários países, a organização afirma que, até 2100, a maré irá subir entre 0.6 centímetros a 2.1 metros – ‘engolindo’ cidades costeiras. Países como China, Bangladesh, Índia, Vietnã, Indonésia e Tailândia serão os mais atingidos em território, ainda que o Acordo de Paris, de 2015, seja cumprido.

A projeção é de que 300 milhões de pessoas em todo o mundo podem ser afetadas com os impactos das inundações. No Brasil, a população em risco soma 1 milhão de cidadãos. Estes números, no entanto, não levam em conta projetos de contingência das marés já em andamento – ou futuramente implementados -, que podem reduzir os estragos.

Neste contexto, daqui a 30 anos os municípios com mais riscos de serem atingidos em Santa Catarina são: Joinville e São Francisco do Sul (Norte), Itajaí, Navegantes e Balneário Camboriú (Vale), Tijucas (Grande Florianópolis), Tubarão e Jaguaruna (Sul).

Grandes rodovias do Estado, como a BR-101 e a BR-280, têm diferentes pontos com risco de inundações em 2050, conforme a projeção. Portos catarinenses também podem ser afetados pelo avanço das águas.

Em uma nova atualização realizada recentemente, foi corrigido dados de elevação do solo que, até agora, subestimavam as zonas costeiras sujeitas a inundações. Assim, o novo estudo triplicou as expectativas de aumento do nível do mar.

Fonte: ND Mais