Homem é agredido no ferry por conta de não aceitarem cartão na travessia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Um vídeo que vem ganhando grande repercussão na rede social, mostra um usuário do ferry Boat com a sua família no seu carro sendo agredido por um homem. O motivo da confusão foi por conta do morador ter somente cartão para pagar a tarifa da travessia.

NGI Sul é a empresa responsável pelo serviço de transporte aquaviário entre Navegantes e Itajaí, no local só é aceito como forma de pagamento dinheiro em espécie. Essa forma arcaica acaba prejudicando quem necessita atravessar no local, pois nos dias de hoje os brasileiros utilizam mais cartão magnético e dificilmente andam com dinheiro, nem mesmo o Pix é aceito pela empresa.

Leiam também:

O motivo usado pelo chefão da empresa de não aceitar cartão magnético, tem haver com o sinal de internet que não “funciona” nas embarcações.

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), a empresa ou estabelecimento não tem a obrigação de aceitar cartão ou cheque, mas tem por obrigação de fixar essa informação em um local de fácil acesso, acerca da recusa da forma de pagamento.

Nota de esclarecimento da NGI Sul

– Esta ocorrência foi registrada há mais de 30 dias, no período noturno, quando um usuário negou-se a pagar a tarifa da travessia de carros, alegando que só teria cartão. A empresa esclarece que o pagamento no embarque só é aceito em dinheiro em espécie, podendo o usuário comprar passe através de cartão de débito ou Pix no escritório da empresa, na modalidade compra antecipada.

– O vídeo em questão foi editado. O cidadão que aparece na segunda parte (de camiseta azul), era um segundo usuário e não funcionário da empresa. O carro de onde a fimagem era feita, colidiu na traseira do carro à frente, motivo que gerou a discussão.

– A NGI esclarece que vem tendo tratativas com a Secretaria de Estado da Infraestrutura para a implantação da bilhetagem eletrônica, para então aceitar outras formas de pagamento. Porém, a questão é impedida pelo “passe livre”, benefício concedido pelo Estado a alguns usuários.

– A empresa reforça que em nenhum momento houve qualquer tipo de agressão ou desrespeito a seus usuários, alertando que nas plataformas de embarques há faixas e letreiros que informam que o pagamento da passagem somente é aceito em dinheiro no momento do embarque.1 d