#Globolixo está entre os assuntos mais comentados do Twitter

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Após o presidente Jair Messias Bolsonaro rebate a matéria da Globo aonde coloca ele como suspeito na morte da vereadora Marielle Franco (PSOL), do Rio de Janeiro, e do motorista dela, Anderson Gomes, ocorrido em março de 2018.

De acordo com as informações veiculado no Jornal Nacional, o porteiro do condomínio onde morava Bolsonaro à época disse em depoimento que alguém com a voz “do seu Jair” autorizou a entrada de um dos suspeitos da morte da vereadora no dia do crime. Bolsonaro, no entanto, neste dia estava na Câmara dos Deputados, segundo registro de presença da Casa consultado pela reportagem.

Bastante incomodado e emocionado com a relação do seu nome e de sua família, Bolsonaro afirmou que os vazamentos do processo que acontece em segredo de justiça partiram do governador carioca Wilson Wiltzel (PSC-Rj).

Em entrevista à TV Record, o presidente voltou a falar que esses vazamentos partiram do governador Witzel que já lança seu nome como candidato a presidente em 2022. Para atingir seu objetivo, ele tem que destruir a família Bolsonaro declarou.

Bolsonaro afirmou que o inquérito da Polícia Civil do Rio de Janeiro está sendo mal conduzido e que há uma tentativa de criar uma cortina de fumaça para encobrir a real autoria do crime. Também disse que gostaria de ser ouvido no caso e que a reportagem visa atingir sua imagem e a de sua família.

Assistam a resposta do presidente Jair Messias Bolsonaro: