Febre na internet, brincadeira da rasteira pode levar a morte

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Uma brincadeira consiste em dar uma rasteira em um dos participantes tem ganhando repercussão devido ao risco. Ela funciona da seguinte maneira: Duas pessoas ficam nas extremidades e pulam, incentivando quem fica ao centro imitar logo em seguida. Quando isso acontece, ambos dão a rasteira, fazendo com que a vítima caia de costas.

Tal brincadeira é extremamente perigosa, se o trauma ocorrer no crânio, o paciente terá um Trauma cranioencefálico (TCE), com limitação de movimentos e perda da sensibilidade. Se for na região cervical (pescoço), haverá dano à coluna medular, que fará a pessoa perder o movimento dos braços (paraplegia) ou dos braços e pernas (tetraplegia).

O tema retornou à tona em todo o país após a divulgação de vídeos de pessoas “brincando” em escolas. Em novembro de 2019 uma adolescente de 16 anos, de Mossoró (RN), morreu após participar da brincadeira. À época, Emanuela Medeiros foi levada a um hospital com traumatismo craniano, foi atendida, mas não resistiu.

É extremamente importante conscientizar a população. De maneira nenhuma isso é engraçado. É grave e pode gerar morte, como gerou.