Ex-prefeito de Penha e mais 18 pessoas são indiciadas por desvio na saúde

Nesta terça-feira (23), a Polícia Civil indiciou 19 pessoas por formação de organização criminosa, fraude em licitação, peculato e lavagem de dinheiro. O caso envolve fraudes que foram realizadas na saúde na cidade Penha.

Os investigadores apontam que entre 2011 e 2016 o município de Penha pagou ao “Instituto Adhoniram” em torno de R$3.772.847,50, dos quais R$ 1,493 milhão foram desviado pela organização.

Falta Pouco

O mesmo esquema descoberto em Penha acontecia em Itapema, onde estima um prejuízo ainda maior, podendo passar de R$ 8.000.000,00 (oito milhões de reais), as investigações estão em fase final e logo será concluída.

Evandro Eredes dos Navegantes – Ex prefeito de Penha

O ex-prefeito de Penha Evandro Eredes dos Navegantes (PSDB), e ao menos dois integrantes de sua gestão, o ex-secretário da Saúde, Cleybi Darossi, e o ex-controlador, Rafael Celestino, estão entre as 16 pessoas que foram detidas na operação Sutura em junho de 2018.

Foto: Polícia Civil/Divulgação

As investigações da Operação Sutura estão sob a responsabilidade da Divisão de Combate à Crimes Contra o Patrimônio Público (DCCPP/Deic) e do Laboratório de Lavagem de Dinheiro (LAB-LD/Deic), com apoio das DRPs de Balneário Camboriú, Blumenau e Joinville, Polícia Civil do Mato Grosso, Ministério Público (MPSC) e do Ministério Público de Contas (MPC).

 

Comentários