EMPREGO: TCU libera a construção das Corvetas em Itajaí

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

O Tribunal de Contas da União (TCU), arquivou no dia 27 de novembro, a denúncia apresentada pelo Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Pernambuco, que questionou vários itens da licitação das Corvetas. No voto do relator o ministro Augusto Sherman Cavalcanti, alegou não haver provas de irregularidades.

A assinatura do contrato da Marinha do Brasil e o consórcio Águas Azuis ficou para janeiro de 2020. O valor das construções das Corvetas é de US$ 1,6 bilhões, estimá-se que irá gerar 2.000 empregos diretos e 4 mil empregos indiretos no Estado catarinense.

O estaleiro Oceana, em Itajaí, foi escolhido pelo consórcio Águas Azuis para a construção das corvetas. A região do Vale do Itajaí no ápice da construção naval chegou a empregar mais de 10 mil pessoas, hoje esse número é de aproximadamente 2 mil. De acordo com as informações recebidas, a previsão que os trabalhos iniciem somente em 2021.

A expectativa é que a construção das corvetas traga novos projetos para a indústria local. A Marinha do Brasil planeja a construção de um novo navio patrulha, que poderá ser usado em missões na Antártida. E também há espaço para produção internacional: forças armadas do Paraguai e do Chile já teriam demonstrado interesse em usar os serviços do consórcio Águas Azuis.