Em Penha a Polícia não está dando moleza para quem gosta de queimar uma erva

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Na última quinta-feira (01), a Polícia Militar de Penha desencadeou a “Operação Pico Sujo”, que consiste na realização de incursões veladas e ostensivas nas praias do Cascalho, em Armação, e do Quilombo, no Centro de Penha, para coibir a prática de consumo de drogas nesses locais, responsabilizar usuários e prender traficantes de drogas.

Dois dos mais belos pontos turísticos de Penha, as praias do Cascalho e do Quilombo não são conhecidas apenas por suas belezas naturais. Elas são frequentadas pelo público “desbaratinado” como locais “legais” para se consumir drogas e, por isso, vinham sendo frequentadas por usuários, pessoas de conduta duvidosa cuja presença acabava por afugentar as pessoas de bem, as famílias desses locais.

As operações tem tido efeito na medida em que os usuários acabam contribuindo com a Polícia e contando onde adquiriram a droga. A Polícia, por sua vez, visita e prende o traficante.

“Estamos limpando a área e devolvendo esses locais à comunidade e ao cidadão ordeiro. O cidadão de bem precisa acabar com esse discurso politicamente correto de dizer ‘eu não tenho nada contra que fulano use drogas desde que não me incomode’. Esse cidadão precisa entender que são o baseado na boca do adolescente, a cocaína no prato do magnata, o revólver na mão do ladrão que fazem girar o tráfico de drogas e a onda de violência, furtos, roubos, mortes, que temos presenciado. Limparemos a cidade e estamos evoluindo rápido. NÃO HAVERÁ TRÉGUA!”, disse o Comandante da Polícia Militar de Penha.

É importante salientar que as abordagens policiais são feitas com base na fundada suspeita, indistintamente e que por isso, mesmo um cidadão que nada deve à justiça poderá eventualmente ser abordado. Será revistado, identificado, orientado e, se for o caso, liberado.