Em passos de tartaruga, obra do deck do Gravatá já dura mais de dois anos

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Em outubro de 2016 uma forte ressaca arrancou boa parte do deck da praia de Gravatá em Navegantes. O prejuízo calculado na época foi de R$ 1,9 milhão pelo poder público municipal. O Governo Federal em março de 2017 liberou através do Ministério da Integração Nacional R$ 1,6 milhão para reconstrução do deck destruído pela ressaca, além parte destruída, o projeto contemplou a parte final da praia do Gravatá, nela várias obrigações devem ser cumprida, entre elas 11 rampas de acessos na praia.

Ressaca na praia do Gravatá em 28 de outubro de 2016.

Dois anos após a liberação da verba, os trabalhos no local ainda não foram finalizados. Nesta quinta-feira (08), a Secretaria de Obras iniciou somente agora as obras das rampas de acesso.

Segundo nota divulgada, serão utilizadas cerca de 700 escoras de eucalipto tratado, que serão estaqueadas a dois metros de profundidade para que resistam a ação das marés e ressacas. As rampas terão 1,5 metros de largura e a extensão vai variar entre 30 a 40 metros de comprimento, dependendo do modelo (rampa lisa ou em forma de escadaria) e do local onde serão fixadas.

Até o momento não se sabe o motivo da demora na conclusão das obras do deck, moradores questionam a falta de ciclovia no local, tal situação que deixa uma duvida se o projeto está sendo seguido conforme foi solicitado.

Início dos trabalhos da construção das rampas de acesso na praia do Gravatá. (Imagem/Divulgação).