Depois de Wilson Witzel, agora é a vez do governador de SC ser afastado

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
O afastamento pode acontecer ainda esse mês - Foto: Divulgação.

O governador de Santa Catarina Carlos Moisés (PSL) vai sangrar e não reverterá sua situação no processo de impeachment que está em andamento na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

Processo esse que tinha sido interrompido pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), mas essa interrupção foi derrubada pelo Ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), que mandou dar seguimento ao processo.

O motivo do impeachment está acontecendo após Moisés conceder ilegalmente uma concessão de aumento salarial a procuradores estaduais em 2019, por decisão administrativa sem passar pelos deputados, que acabou configurando crime de responsabilidade.

Moisés, sua vice e o secretário de administração só serão afastados após duas votações, uma do plenário e outra da comissão mista, esse afastamento poderá acontecer ainda este mês, e se tiverem o mandato cassado ainda em 2020, será realizado uma nova eleição.