Ciclone pode ter movimento atípico na costa do Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Uma área de baixa pressão atmosférica se intensifica na costa Sul do Brasil e se desloca em direção à costa do Sudeste. Porém, os meteorologistas estão intrigados com o movimento retrógrado que esta baixa pressão faz, voltando do mar em direção ao continente.

Os ciclones extras e subtropicais que se formam normalmente (e com frequência) na costa brasileira se deslocam para alto mar, se afastando do continente. Entretanto, alguns modelos meteorológicos indicam que após se afastar do continente, o ciclone deve se aproximar novamente da costa após o dia 3 de abril – e é isto que está deixando os meteorologistas com “pulga atrás da orelha”, já que este movimento do mar para o continente é típico de furacões.

Ao se depararem com esta sugestão dos modelos de previsão de vento e pressão, os meteorologistas não poderiam deixar de lembrar do Catarina, o único furacão até agora comprovadamente formado na costa do Brasil. Este sistema se originou de um ciclone extratropical, entrou em águas quentes e ganhou energia para se transformar em um furacão, que avançou para costa do Sul do Brasil causando destruição. Além disso, o fato de estarmos no mês de março deixa os meteorologistas ainda mais em alerta, já que esta é uma época em que o mar está quente, por ser o mês do fim do verão.

Os meteorologistas da Climatempo estão acompanhando o deslocamento deste ciclone e seguirão trazendo atualizações no decorrer dos próximos dias. 

Fonte: Climatempo