Chero não manda nada e tem 10 dias para defesa ou perderá o mandato

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Fontes do portal Abre Olho Notícias afirmaram que o vereador Valmir César Francisco, vulgo Chero, afastado do legislativo por motivo de doença logo após o mesmo vereador ter sido preso na operação do Gaeco, denominada Falta d´Água em junho deste ano, teria ainda o controle da presidência da Câmara Municipal de Vereadores de Navegantes.

Em contato com o vereador Jefferson Macarini (PSDB), atual presidente da Câmara, afirmou que essa informação não procede, tanto que na terça-feira (05), ele intimou o vereador em um prazo de 10 dias para apresentar a defesa do pedido de cassação do seu cargo.

O pedido está baseado na Lei Orgânica do Município em seu artigo 35, inciso 3º, aonde “o vereador que deixar de comparecer, em cada sessão legislativa, à terça parte das reuniões ordinárias da Câmara, perderá o mandato”.

Com isso o vereador tem 10 dias para apresentar a sua defesa, caso contrário Pulo Ney (PSDB) irá ser empossado como vereador por definitivo.

Paulo Ney é outro suplente de vereador investigado em um outro esquema de corrupção na secretaria de Planejamento Urbano. Em dezembro de 2018, o suplente ficou preso por 30 dias no Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí (Canhanduba), após supostamente perseguir uma testemunha do caso aonde ele é investigado.