Atentados contra a rede Carrefour ganham força em capitais do país

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Tudo começou após João Alberto ser espancado por um segurança e um policial militar que não possuía registro para atuar como segurança, na noite desta última quinta-feira (19) em Porto Alegre.

Segundo informações a vítima havia se desentendido com a caixa do estabelecimento e então foi acompanhado com os seguranças até a saída do local, mas antes de chegar a saída, ele havia deferido um soco em um segurança da rede que não estava no vídeo, e então foi espancado pelos dois que o acompanharam.

Em vídeos gravados é possível ver João sendo golpeado diversas vezes. O laudo da morte apontou a causa como asfixia. Os dois seguranças foram exonerados e presos respondendo pelos crimes de homicídio qualificado.

O que chocou a todos e causou ainda mais revolta, é que o homicídio foi na véspera do dia da “Consciência Negra”. Grupos denominado “anti-racistas” armaram boicote nas redes do supermercado em capitais do país e estão ateando fogo e quebrando os estabelecimentos.

Há princípio o protesto no Carrefour onde João foi morto estaria sendo realizado de forma pacifica, mas grupos se formaram durante a noite e começaram a depredar o estabelecimento.

Vejam imagens das manifestações: