Após um ano o autor do assassinato de Gabriella ainda não foi condenado pela justiça

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Nesta quinta-feira (23), completa um ano do assassinato da jovem Gabriella Custódio da Silva de 20 anos, na cidade de Penha. Ela foi morta após levar um tiro no peito pelo próprio namorado Leonardo Natan Chaves Martins, de 21 anos.

Na época o caso ganhou grande repercussão, pois o tiro que matou a jovem partiu do próprio namorado e foi ele quem levou ela até o hospital.

Por conta da pandemia, o júri já foi suspenso três vezes e a defesa sustenta que o tiro foi acidental, indo contra o inquérito policial que caracterizou como crime de feminicídio. Se caso a defesa consiga provar que o tiro que matou Gabriella foi acidental e desconfigure o crime como feminicídio, Leonardo poderá sair pela porta da frente.

O celular e a arma foram jogados no Canal do Linguado, na cidade de São Francisco e até hoje não foram encontrados. O pai de Leonardo que também é réu no mesmo processo por fraude processual e posse ilegal de arma de fogo foi encontrado morto no dia 16 de fevereiro de 2020.

Imagem/Divulgação