ALESC aprova a proibição de aumento de água, luz e gás; Carlos Moisés veta a proibição

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Imagem/Divulgação

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC) aprovou a proibição de empresas que fornecem água, luz e gás, de realizarem reajuste nas tarifas públicas.

A proposta foi apresentada pelo deputado estadual Milton Hobus (PSD), mas o digníssimo governador de Santa Catarina vetou proibição pois alegou que o texto é inconstitucional.

Carlos Moisés alegou que todos os órgãos responsáveis pela prestação de serviço, tais como: PGE (Procuradoria-Geral do Estado), ARESC (Agência Reguladora de Santa Catarina), Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento ), Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) e SC Gás eram contra a sanção do projeto que proibiria o reajuste.

O projeto havia ganhado força quando saiu a noticia de que a Celesc realizaria um reajuste de 8,14% nas contas de luz dos catarinenses.

Mas com o veto do governador, a execução da proibição foi “por água abaixo”.